Qual é a diferença entre ThetaHealing e Reiki?

Qual é a diferença entre ThetaHealing e Reiki?

Essa é uma das perguntas mais comuns que nos fazem. Quando aparece uma técnica tão inovadora como o ThetaHealing, as pessoas ficam curiosas para entender e tentam buscar referências, como o Reiki. Existem semelhanças e podemos sintetizá-las em nas seguintes palavras: energia, cura, espiritualidade. Outro aspecto comum é o fato de não estarem ligadas à religião alguma e respeitarem todas elas. 

Acredito que 3 diferenças sejam muito importantes e ajudam a entender um pouco mais do ThetaHealing. 

1. Origem: o Reiki surgiu no Japão com pelo monge budista japonês Mikao Usui, em 1922. O ThetaHealing iniciou nos Estados Unidos com a naturopata altamente intuitiva Vianna Stibal, em 1995. 

2. Padrões de ondas cerebrais: no Reiki, praticantes e receptores ficam sincronizados no estado Alfa, ou seja, estado de profundo relaxamento e meditação, com ondas de 7 a 14 Hz. Já no ThetaHealing, as ondas Theta, de 4 a 7 Hz são acessadas pelo terapeuta, atingindo um profundo estado de relaxamento. 

3. Como as sessões acontecem: no Reiki, a energia universal (Ki) é transmitida pelo praticante para o receptor por imposição de mãos. Quem recebe fica deitado, de olhos fechados e em silêncio. Não há conversa durante o processo de troca energética e não há necessidade de autorização. No ThetaHealing, um dos processos é a limpeza energética, mas existem muitos outros. Um dos mais importantes é o trabalho de alteração de crenças limitantes por libertárias. Numa sessão, tanto terapeuta como cliente ficam de olhos fechados, conscientes, sentados frente a frente, trocando palavras o tempo todo. Um princípio fundamental do ThetaHealing é o livre arbítrio, assim, cada procedimento deve ser autorizado por quem recebe antes de ser realizado. 

Existem mais semelhanças e diferenças! Se você lembrou de alguma, é só comentar. 

E ai, ficou um pouco mais fácil de entender as diferenças?

Deixe seu comentário!